Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As margens do abismo

Hei abismo! Nem me disse adeus
E já me habita outra vez?
Na verdade, abismo,
Somos tão infinitamente íntimos...
Já não sei quem habita quem.
Há quanto tempo que medimos forças?
Há quem diga que sou maior que você,
Não estou tão certa.
Na verdade há momentos que o temo tanto,
Que nem me arrisco a vislumbrá-lo.
Eu não sei quem de nós chegou primeiro ao mundo,
Até onde me lembro,
Nunca me afastei muito além  de suas margens,
Há fases em que caminho fingindo não te ver,
Mas é inegável o fato:
Nunca dei um passo sem você em mim ou ao meu lado.
E no final? Como será? O vencerei?
Às vezes nem sei se estarei no páreo,
Tenho que reconhecer,
O seu silêncio parece-me tão raro,
Tão quieto, tão escuro, tão vago...
Às vezes eu o invejo
Essa total ausência de sentimentos,
Não há nada a ser amado,
Mas também não há nada a temer.
Ou será que estou enganada?
 Pode haver alguma paixão nesse sepulcro negro?
Será possível que de tanto convivermos
Você me vislumbra dependente
Talvez apaixonado
Pelo os excessos de tormentos
Que perturbam meu ser?
Princesa Lara
Enviado por Princesa Lara em 13/02/2014
Código do texto: T4689027
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Princesa Lara
Santo André - São Paulo - Brasil
116 textos (6905 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/04/20 13:27)
Princesa Lara