ENTREOLHAR

És-se polifônico e desflora toda forma de amar...

Tu vens, sob o infindável despir boreal,

Entreolhar e ficar,

Entreolhando aquele aceno;

Que desfaz em pena,

que rompe mui distância...

É-me desvelado, romã... desvozeado,

Mais sonoro que a elegância dos pássaros,

Mais breve que o cultivo das flores à beleza irremediável

Por um amor tão breve, tão triste...

Dylla Vicente
Enviado por Dylla Vicente em 10/06/2019
Reeditado em 26/07/2019
Código do texto: T6669816
Classificação de conteúdo: seguro