[TRISTES OLHOS]

Teus olhos discorrem como um rio ligeiro,

e o verde translúcido de teus olhos

faz chover o meu mundo centeio,

reflete e flerta com os vitrais da chuva

e chove cacos de vidros por meus olhos inteiros.

Teus olhos verdes, transbordantes,

Traz-me o verde flóreo da vagante estação

e inunda-me d'agua os olhos,

espiritualizados de tua lembrança.

Teus olhos verdes... desfolho

e olho-o com os mesmos olhos-rios.

Me afoguei neste expressivo verde translúcido,

Amei em ti toda invernia destes teus olhos aguados,

E, algum dia, se de ti me aproximasse,

te salvaria da correnteza destes nossos olhares, mas choro ao vê-los. Choro.

Meu Deus! Como és triste, como és triste...

És triste até quando sorris... para ti, para mim.

Dylla Vicente
Enviado por Dylla Vicente em 30/08/2019
Código do texto: T6732978
Classificação de conteúdo: seguro