Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Queria poder te dividir em partes
E fazer um soneto precioso
Contar-te em sílabas
Transformar-te em trova
Retalhar-te em sons perfeitos
E ler-te poetrix
Mas tu não cabes em métrica alguma
Se um é sol o outro é lua
E não há desejo de eclipse
Apenas aquele esbarrão
Um sair além da inconveniência
Se duzentas vezes te enfeitei
Não mais que uma me desnudaste
Se te colori para que sorrisse
Encobrindo-me de crueldade servi a teu gozo
Conheço teu fel que escoa a toa
Tua falta de vontades delicadas
Teu estoque de inúteis sinalizações
“Não dormem até que façam o mal”
Mágoa que deságua em rio transbordado
Enxurrada de lanças em prontidão
À postos apostas sem cálculos
Não há finalidade
Nenhum soneto, trova ou poetrix
Nem sequer uma frase mal feita
Do meu jardim te dei mais de cem rosas
Do teu deserto ganhei um espinho
Mistura elaborada no vazio que te sou
Envenenaste estagnando a alma
Uma alma de que nada te serviu
Mas que serviste a ela feito açoite
Rose Stteffen
Enviado por Rose Stteffen em 15/10/2007
Reeditado em 23/04/2011
Código do texto: T695904
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rose Stteffen). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rose Stteffen
São Paulo - São Paulo - Brasil
1355 textos (178087 leituras)
16 áudios (1782 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 10:19)
Rose Stteffen