Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
QUANDO A TARDE MORRE
Nadir A. D’Onofrio

Sinto morrer meus sentimentos
No silêncio triste que antecede a noite,
O medo se apodera de mim.
Não ouço mais os meus pássaros,
Voltaram todos para seus ninhos.
O ocaso maravilhoso,
Causa sempre essa melancolia,
Chego ter quase certeza...
Que não estarei viva amanhã,
Para ver o sol nascer.
Mas quando a noite se abre,
Como porta jóia estrelado,
Olho para o firmamento...
Na minha pequenez procuro entender,
O significado do meu viver.
Deixando o pensamento vagar
Sinto-me, livre da força da gravidade!
Nesse mágico instante,
Todo temor é dissipado.
Sou parte infinitesimal do universo,
Não existindo para muitos,
Necessária para mim mesma...
Vivencio minha transformação
Passo entender minha posição.
Sentir medo?
Descarto esse pensamento...
Existe principio, meio e fim.
Por esse caminho todos os seres trilharão,
É a lei natural da evolução...
Volto nesse momento
Agradecida pelo entendimento.
Feliz então adormeço
Quem sabe, logo mais eu possa acordar,
Isso...se meu tempo no planeta não terminar...
Ouvirei novamente os, pássaros chilrearem
Anunciando o meu novo dia!
Mais uma vez, minha reverência ao sol farei,
Ao CRIADOR, um mantra em agradecimento entoarei.

11/03/2005
Santos/ SP
Respeite Direitos Autorais.


 
Nadir DOnofrio
Enviado por Nadir DOnofrio em 12/04/2005
Reeditado em 26/08/2020
Código do texto: T10992
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Nadir DOnofrio
Serra Negra - São Paulo - Brasil
947 textos (103143 leituras)
147 áudios (14205 audições)
12 e-livros (3173 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/10/20 16:23)
Nadir DOnofrio

Site do Escritor