Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As Borboletas Azuis

“Certo dia, resolvi imaginar como seria meu ultimo dia, meus últimos momentos, meu ultimo instante de vida... E deu nisso :
 

Não adianta mais
A alegria
Não adianta mais
A tortura
A violência
A rudez...
Não adianta mais
A intransigência
Não adianta mais
A razão
Nem sofrer
Nem sorrir...
Não adianta mais
A esperança
Não adianta mais
Ser feliz
Nem viver
Nem sonhar...
Não adianta mais
O perdão
Não adianta mais
A tristeza
O pranto
A dor
Nem amar
Nem o mar...
Pois nada mais adianta.
As borboletas azuis
Já se foram
E os raios da lembrança
Começaram se furtar
As cortinas
Já se fecharam
As luzes
Já se apagaram
As portas
Já se trancaram
Os espelhos da razão
Já se quebraram
E o destino então
Cuidou do óbvio
E ajuntou minhas mãos
Orou minhas preces
Aqueceu meu ego
Desobedeceu meus desejos
Enfim
Cerrou meu olhar...
GERALDO MARIA DE OLIVEIRA
Enviado por GERALDO MARIA DE OLIVEIRA em 26/10/2007
Reeditado em 26/10/2007
Código do texto: T710540
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GERALDO MARIA DE OLIVEIRA
Passos - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
40 textos (2101 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 13:25)
GERALDO MARIA DE OLIVEIRA