Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO. CAP. 28.

Fogem os ímpios sem que ninguém os persiga;
Mas os justos, como o Leão, são ousados.
Por causa da transgressão duma terra,
Os seus príncipes são muitos;
Mas ela por longo tempo subsistirá
Pela virtude de homens prudentes e entendidos.

É como a chuva impetuosa o homem pobre que os pobres oprime,
Que trigo nenhum deixa.
Os que abandonam a lei louvam os ímpios;
Mas os que guardam a lei contra eles pelejam.

Os homens maus não entendem a justiça;
Mas os que buscam ao Senhor a entendem plenamente.
Melhor é o pobre que na sua integridade caminha,
Do que o rico nos seus caminhos perverso.

O que guarda a lei é filho sábio;
Mas o companheiro dos comilões a seu pai envergonha.
O que aumenta a sua riqueza com usura e juros,
Para o que se compadece do pobre, ajunta-a.

O que desvia de ouvir a lei os seus ouvidos,
É abominável até a sua oração.
Quem faz os retos se desviarem para um mau caminho,
Cairá na cova que abriu; mas os inocentes o bem herdarão.

O homem rico é sábio aos seus próprios olhos;
Mas o esquadrinha o pobre que o entendimento tem.
Há grande glória quando triunfam os justos;
Mas escondem-se os homens quando os ímpios sobem.

Nunca prosperará o que as suas transgressões encobre;
Mas o que as confessa e deixa, misericórdia alcançará.
Que teme ao Senhor, feliz é o homem.
Mas o que endurece o seu coração, a cair no mal virá.

Como leão bramidor e urso faminto,
Assim é o ímpio que domina sobre um povo pobre.
É também opressor cruel o príncipe falto de entendimento;
Mas prolongará os seus dias o que a avareza aborrece.

O homem culpado do sangue de qualquer pessoa,
Ninguém o ajude, até à morte será fugitivo.
O que anda retamente salvar-se-á;
Mas cairá de repente o perverso em seus caminhos.

O que lavra a sua terra se fartará de pão;
Mas o que segue os ociosos se encherá de pobreza.
O homem fiel gozará de abundantes bênçãos;
Mas não ficará impune o que a enriquecer se apressa.

Não é bom fazer acepção de pessoas;
Mas até por um bocado de pão o homem prevaricará.
Aquele que é cobiçoso corre atrás das riquezas;
E não sabe que sobre ele a penúria virá.

Achará depois mais favor o que a um homem repreende,
Do que para quem lisonjeia com a língua.
O que rouba a seu pai, ou a sua mãe,
E diz: Isso não é transgressão, esse é do destruidor amigo.

Levanta contendas, o cobiçoso;
Mas o que confia no Senhor prosperará.
O que confia no seu próprio coração é insensato,
Mas o que anda sabiamente livre será.

Não terá falta o que dá ao pobre;
Mas terá muitas maldições o que esconde os seus olhos.
Escondem-se os homens, quando os ímpios sobem;
Mas quando eles perecem, multiplicam-se os justos.
oliprest
Enviado por oliprest em 26/10/2007
Reeditado em 19/11/2007
Código do texto: T710491
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
2161 textos (186121 leituras)
247 áudios (2695 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 03:08)
oliprest

Site do Escritor