Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


ENCANTAMENTO

Tava eu sem graça

Sentado num banco da praça
Ruminando mágoas
Quando uma voz angelical
Tal qual um marulhar  de água
iluminou aquela tarde fria.
_ Boa tarde! O senhor aceita uma poesia?
Pensei ser uma alucinação.
Voltei meu olhar naquela direção
E me encantei. Pura fascinação!
Olhar contundente
Bochechas salientes
Lábios e sorriso
Num majestoso arranjo...
Seria um anjo?
Ousei perguntar:
Qual é o seu nome, filha?
_ Cecília. O senhor aceita uma poesia?
_ Uma poesia, só para mim?
Claro, obrigado, aceito sim!
E sua voz terna  e calma
Derramou-se em minha alma
Em versos que diziam assim:

 
 
 
" Convite

Poesia
é brincar com palavras
como se brinca
com bola, papagaio, pião.

Só que
bola, papagaio,pião
de tanto brincar
se gastam.

As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas
mais novas ficam.

Como a água do rio
que é água sempre nova.

Como cada dia
que é sempre um novo dia.

Vamos brincar de poesia? "



José Paulo Paes 
 

 
 A cena me restaurou a alma!
Sorri, emocionei-me, bati palma...
Ela também sorriu
e silenciosamente partiu
caminhando pela praça
como pessoa normal.
Seria ela real?
Na minha doce ingenuidade
de vivente do Pompéu
imaginei que fosse sair voando
sorrindo e me acenando
até entrar  céu.

 
                                                                
 
 
   
 
 
silasol
Enviado por silasol em 24/09/2012
Código do texto: T3898755
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
silasol
Sabará - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
677 textos (84971 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/04/21 14:03)
silasol