Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Elegia do amor maduro

Quando o tempo do silêncio
assentar em nossos corações
a pedra do esquecimento
já não seremos aquela árvore vibrante
nem gozaremos com as vorazes cataratas
ao rumor da vida.

Quando esse tempo chegar
é certo que chorarei
sobre os restos mortais
do nosso verso-reverso.
É certo que chorarei
Sobre o nosso sudário.

Quando esse tempo chegar
a Paz e a Liberdade
de certo perguntarão:
– Vorazes cataratas ao rumor da vida,
sabedes nova do meu amado?
Sabedes nova do meu amigo?


Graça Graúna. Canto mestizo. RJ/Maricá: Editora Blocos, 1999, p.65.
graça graúna
Enviado por graça graúna em 18/10/2010
Reeditado em 18/10/2010
Código do texto: T2562993

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
graça graúna
Recife - Pernambuco - Brasil
12 textos (1416 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/04/21 20:16)
graça graúna