Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CRIANÇA QUE AINDA SOU.

Jamais podemos deixar morrer aquela criança
que ainda existe dentro de nós...
Não troque seu sorriso infantil
pelo chato siso adulto..

 A CRIANÇA QUE AINDA SOU
 Marcial Salaverry
 
A melhor coisa da fase adulta,
é jamais esquecer que foi criança...
É aquelas lembranças guardar na lembrança...
Quantas lembranças de meus tempos de criança...
Bolinha de gude... Pipa... Passa anel!
Vamos brincar de passa anel?
Quem sabe se em tua mão fica,
e entendes que nesse anel
está todo o mel...
O mel do amor... O meu amor criança...
Beijo, abraço ou aperto de mão...
Não será esta a melhor opção?
Podes me dar um beijo,
acalmando meu desejo?
Podes me dar um abraço,
e me aninhar em teus braços?
Será  um aperto de mão?
Segura então nossas duas mãos,
e nunca as deixe largar...
Quantas perguntas sem respostas,
estão meu coração a torturar...
Ah! que saudades eu tenho
de meu tempo de criança,
onde o enredo somente
era entre os risos e os folguedos...
Nem passado, nem presente, nem futuro...
Tão somente o amor que a gente sente...
O que me faz criança simplesmente,
é este amor semeado na eternidade...
Este é meu terno e eterno presente,
imerso em doces recordações...
Por que nunca vivemos a infância
como ela deve ser vivida?
Em sua total plenitude?
Sem celular, computador...
Sem redes sociais que também trazem dor...
Amarelinha, dono da rua, sela,
fazerão o que o mestre mandar,
bolinha de gude, taco, bola de meia...
Será que alguém ainda se lembra disso?
"Ah que sadaudes que tenho..."
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 22/09/2018
Código do texto: T6456351
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 80 anos
22458 textos (2394445 leituras)
3 áudios (932 audições)
6 e-livros (2183 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 03:05)
Marcial Salaverry