Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A linha torta do Equador
Que corta o mundo ao meio.
Abaixo do Equador
Estamos nós.
A sós e em silêncio.

Sob impiedoso sol esclaldente
Sob os grilhões da escravidão
Sob a sombra de árvores extintas

A linha torta no meio da mão
A linha da vida  pontilhada

A cigana leu minha mão
Falou de minha sorte
De minha agruras
e lágrimas
que regam
uma primavera de saudades.

A linha oblíqua do olhar de Carmen
A linha do punhal a matá-la
incisiva
cortante e fatal.
Pungente e carnal.

Como a barra da saia
a balouçar na beira do abismo,
a sacudir destinos 
sob manejo das ancas.

A linha imaginária
da poesia mórbida,
a invocar fantasmas
a invocar tramas desfeitas
e enigmas óbvios.

A linha da esfinge
a vigiar as pirâmides
e a promessa de vida eterna
De outras vidas
De outras chances
para desígnio dos fariseus
e de faraós

A linha fugidia do horizonte
dos raios solares dispersos,
dos rastros apagados,
da lama ressecada e,
da reta inusitada entre
meu desejo e o seu afeto.

Linhas.
Traços
Tramas
Trovas.
E, a poesia a percorrer o novelo
mágico de todas as linhas.
GiseleLeite
Enviado por GiseleLeite em 17/10/2019
Código do texto: T6772396
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
GiseleLeite
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
2114 textos (3924456 leituras)
35 áudios (5155 audições)
25 e-livros (151596 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 00:52)
GiseleLeite

Site do Escritor