Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que me calem

E que me valham todos os atos
Nasci poeta, crescerei poeta
Farei dos fatos, meus fatos
E da atitude, atitude correta

E que me digam o que fazer por toda via
Cresci poeta, morrerei poeta
Já não faço nada, só minha vida
E já não tenho atitude circunspeta

E que me matem todos os sonhos
Morri poeta, renascerei poeta
Façam de meus dias, enfadonhos
E então verão uma cisão completa

Pois renasci poeta
E serei poeta

E que nunca me deixem pensar
Pois mataria cada um por si
Poderia ir então sem pesar
Oferecendo meus versos a ti
Alan Miranda de Freitas
Enviado por Alan Miranda de Freitas em 12/11/2007
Código do texto: T734102
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alan Miranda de Freitas
Campos dos Goytacazes - Rio de Janeiro - Brasil, 29 anos
21 textos (340 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 21:04)
Alan Miranda de Freitas