Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO É ASSIM QUE TE AMO...

                   E então o mundo está num estranho silêncio, onde minha boca, fechada e amordaçada, explode palavras que tentam bater asas em tua direção e meu corpo, animal esfomeado, estremece e se agita numa ânsia de gritar teu nome debaixo da minha carne em fogo. Não é que eu te ame assim, com todo meu corpo, torpe e infecta de coisas bobas e pequenas, miudezas medíocres de que tantos enchem seus dias. Não. Não é assim que te amo.
                   É estranho que o mundo silencie enquanto minha boca fechada expande minhas aladas palavras por cada um de meus poros e todos eles gritam teu nome, num escandaloso silêncio. Não é que eu te ame assim, incontida e desesperada, em meio aos resíduos ordinários do tempo que teu veredicto nos delegou ou suspensa tristemente em meio às dores a que tu mesmo te condenaste. Não é assim que te amo. Não.
                   Sou toda e inteira uma incontida presença da qual não tens como ausentar-te. Sou toda uma coleção de palavras-pássaro que gritando teu nome sob minha pele em chamas, te lembra em silêncio quem sou. Eu me esqueço e te esqueço a cada minuto. Depois te escrevo minhas palavras guardadas para lembrar a mim mesma de que sou feita e a ti, para lembrar-te do que me fizeste...
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 29/07/2008
Código do texto: T1103166

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 56 anos
722 textos (166845 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/11/19 22:47)
Débora Denadai