Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SILENCIOSAMENTE...

     Do meu rosto em branco e preto, meio filme noir, encontrei a cor do teu olhar direto, certeiro. Sem saber onde entrava, penetrei o teu olhar. Uma linha, nada mais. Pouco tempo e já estavas ali, diante de mim, plasmado e quase real... Uma pilha de diferenças, brincando com a coincidência ao contrário. Levemente, com intenção ou sem, fostes achando o caminho e abrindo portas. 
     Eu era a conservadora, segundo tuas palavras e tu, o escrachado. Eu, a programada, e tu, o inesperado. Eu, a que ama as palavras, ficava sem nenhuma e tu, direto na veia, injetastes em silêncio o doce veneno que iria parir-me ao contrário...
     Voltei ao começo do mundo, onde a vida é apenas semente, onde a sombra e a escuridão cobrem cada segundo do dia, buscando ver-te  antes que habitasses os meus olhos, para poder conhecer de ti o que eu só conheço de mim depois da tua chegada, antes de me dares um nome. Invocaste em mim, com uma única e precisa  palavra, a prostituta sagrada,  um corpo nascido do teu olhar e tuas mãos quase reais.
     Retorno ao que não era, ao que foi um amanha não chegado. Volto a exigir o  tempo de um eu feita de mim mesma. Nas tuas palavras e com o nome que me destes,transformo-me louca e santa, tomo-me de volta, ressuscitada e fênix renascida para ser uma que não te conhece, uma terra onde teus pés não pisaram, um prato que não conheceu tua língua serpente, uma eu que não sabe da cor dos teus olhos de noite, do calor dos teu picos em chamas, da minha mão em fogo sobre  os teus vales, da solidão cúmplice e simultânea que caminha sobre a tua e a minha pele.
     Volto e me renovo. Sou outra, livre de tudo que não é teu,  meretriz e freira, cândida e desavergonhada, para finalmente esperar o estar a teu lado, calma e leve, e então,  tua porque de ti sou feita, deixar que minhas pétalas se abram em teus dedos  e esperar que me invadas silente e sem aviso...



www.deboradenadai.prosaeverso.net
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 28/05/2009
Código do texto: T1619999

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 56 anos
722 textos (166813 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 03:49)
Débora Denadai