Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Impunidade

Não, ainda não é primavera, mas os dias claros, claros de doer na pele, trazem intervalos verdes, amoras, girassóis, areias com macieza de talco, agudezas, sobressaltos.
Cantarolo uma letra qualquer. Qualquer uma serve enquanto enraízo versos na planura das folhas em branco.
Os gestos se acomodam pelos espaços. Alguma saudade se guarda, dobrada mas indolente como pano de seda numa prateleira.
Água de fonte, jardim,  bando de aves perdido na imensidão barulhenta, própria da alegria.
Sorrio, impune dessa felicidade.
Cissa de Oliveira
Enviado por Cissa de Oliveira em 19/09/2010
Reeditado em 26/02/2011
Código do texto: T2507081
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cissa de Oliveira
Campinas - São Paulo - Brasil
139 textos (29225 leituras)
10 áudios (1474 audições)
1 e-livros (921 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/19 07:59)
Cissa de Oliveira