Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alma de poeta

Quando escrevo poemas não penso.
Minha alma escreve.
Tudo vem tão repentinamente, que em alguns momentos acho não ser eu a dona dos versos.
As palavras fluem espontaneamente, não se esgotam.
Esse contato com o mais íntimo do meu ser me deixa viva.
Sinto que se assim não fosse talvez já tivesse sucumbido às vicissitudes da vida.
Tenho vivenciado alguns dissabores.
Alguns com amores.
Muitas vezes amores fantasiados, outros apenas sonhados.
Amores reais.
Aqueles que não desejo mais.
Sei que meu coração suporta muito mais do que devia.
Mas ele é assim.
Como dizia minha mãe, um “saco sem fundo”.
Tenho uma capacidade de amar, compreender e perdoar, que supera a razão.
Não sou razão.
Sou poeta.
Ganho admiração por tudo isso.
Mas quero mais da vida e das pessoas.
Quero poetas como eu.
Que vivam mais a alma do que o corpo.
Que amem, o tanto que a tolerância alcança.
Que sejam assim, como eu sou:
Invento, crio, sonho.
Não penso.

(Para Pedro, cujas palavras provocaram o poema)


katia christofoletti
Enviado por katia christofoletti em 08/07/2007
Código do texto: T556509


Comentários

Sobre a autora
katia christofoletti
Poços de Caldas - Minas Gerais - Brasil
1324 textos (68941 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/05/21 08:51)
katia christofoletti