Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aedes Aegypti

Ei! Tu mesmo, obtuso leitor. Desculpa atrapalhar o que fazes agora, não quero gastar teus ouvidos com desabafos e lamentos...Não é essa a minha intenção nem deveria.
Trago comigo a certeza de que pagarei pelos meus pecados por esta nossa conversa.
Desde já, perdoe-me! Eu tenho o mesmo medo que as pessoas têm.
Muito provável que não me conheces, talvez nem alguns dos teus colegas e vizinhos.
Em tamanho, sou insignificante, tal qual formigas em teu quintal.
Tenho poder sobre-humano que é o de voar sozinho.
Sou fruto de metamorfoses tal qual as borboletas. Já fui ovo, tornei-me larva, virei pupa e agora, já adulto, sou um mosquito!
Facilmente identificável: preto com manchas brancas, tendência tropical como o nosso clima.
Pela formalidade da ciência, nomearam-me de Aedes Aegypti.
Sinto te dizer, mas não sou teu amigo. A culpa não é só minha, somos cúmplices!
Todavia, a minha existência depende de ti, insensato!
Tua estupidez em deixar a água parada, me proporciona fazer morada em toda parte.
Sou mal, muito mal. Agente infectante.
Num piscar de olhos te passo um vírus.
E se me incomodar, a febre chikungunya ou amarela posso te passar.
Dê um vacilo que te injeto dengue sem grilo.
Pico-te e tu não gritas, logo pegará a zika.
Railson Us
Enviado por Railson Us em 15/05/2018
Reeditado em 15/05/2018
Código do texto: T6337252
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Railson Us
Estância - Sergipe - Brasil
36 textos (1089 leituras)
1 e-livros (14 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/06/18 02:53)
Railson Us