Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A VIDA É INJUSTA

Di-la-ce-ra-do!
Se não lhe importas, escrevo novamente:
Di-la-ce-ra-do!
Ou seria falho, incapaz, abstêmio de amor...

Letargia
Jaz distante a fidalguia, a moral, o afeto
Tudo se foi abraçado em cova profunda
Não nego o fel se esvaindo pelos dentes
A volúpia condensada no peito.

Mil vezes rogo besouros na prateleira
Infetado pela dor abominável e seresteira
Nódoa crespa, instável, denso nevoeiro
Apocalipse do poeta, o poente caos
Arqueando, senescente, cancerígeno.

Resta a aurora gris na frente do espelho
O negativo da felicidade
A ojeriza que tem o porvir por arcabouço meu.

E não há saída!
Penso, mas não há...

Patas a me acalmar e me impedir de morrer
Uma morte lenta, convulsiva
Por vezes, leda, precisa e precoce.

Haja mar na escalada
Haja mel na escada
Sobretudo, a negra capa que me há de acompanhar
Sem filhos, indiferente aos berros
Levando à baila tudo o que de errôneo se fez.

A vida é injusta!
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 05/02/2019
Código do texto: T6567846
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
740 textos (34718 leituras)
1 e-livros (256 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/06/19 17:31)
Cesar Poletto

Site do Escritor