Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A GÊNESE - TOMOS DE INTROSPECÇÃO

Surgem as notas, esvaem-se
Espreitam o fleimão desgastado
Com olhos de maracujá azedo - em segredo.

Houvera a ocasião
Não há mais relógio
Remontam-se as horas no tempo escasso.

Quimera!
Ouvi cedinho as lamúrias urticantes do travesseiro
Em meio à inescrutável nascente
Amor febril, abacateiro juncado.

E as cadentes?
Hão engalanadas no mar de céu espesso
Quase angelical.

Explode granada ferina na barba do demônio
Capa solta de lamber a cerca
Aos axônios, ladeia com o infinito.

Embora saiba a riqueza do vômito
O que me escapam são limalhas de aço carbono
Eternidade!
No apocalipse do tal cansaço
A inventar os desconsolos.

Quando minhas pernas arquearem
Meu ciso incinerar-se
E o modo rústico de sorver tudo, fenecer...

Aí, tudo acabará bem, o mundo se redimirá
"Voila"!
Conquanto conte do oceano as estrelas
Por toda a vida castigada, prestimosa e vil.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 15/02/2019
Código do texto: T6575557
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
740 textos (34729 leituras)
1 e-livros (256 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 07:39)
Cesar Poletto

Site do Escritor