Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

IMPRESSÕES DA NOTRE-DAME

 IMPRESSÕES

O olho registra sagaz
tudo o que lhe é permitido
tudo o que lhe é devido.
Câmera fotográfica que Deus me deu.
Alvissareiro, quer percorrer cada detalhe
reter cada linha, cada miudeza.
A estética convida e ele ( o olho) curioso, aceita
pousa, ávida e demoradamente
extasiado e especulador:
como pode tanta grandeza?
Que capacidade inventiva tem o humano para criar tanta beleza?
O ouvido, se asila do burburinho e fugazmente filtra o barulho
Ele deseja aquietar-se no silêncio (quase palpável, quase sagrado)
que habita no interior do templo.
O coração em oração se aquieta e agradece.

O sagrado está no ar. O sagrado está em todo lugar.
Aqui o divino e o humano compartilham de beleza ímpar
desafiando o tempo.
Tudo isso mexe comigo, aguça minha imaginação.
Eu sou toda indagação?
Quantos séculos atravessam essas paredes?
Quais biografias fizeram parte desse templo?
Quantos humanos deixaram aqui impressos a sua história?
 
Eis a Arte cumprindo o seu papel
Eis a Arte, usando a sua estética como provocação   para tantos questionamentos.

Os vitrais me inspiram, leitura de um tempo  detalhadamente descrito através de imagens. Paro e observo!
_Penso!
Em quantos vitrais o olho humano se depara e para
a colher impressões?
A Arte pulsa  em toda a sua magnitude
nela e através dela , o homem se compõe e
decompõe sua coragem e entusiasmo.
Eis o homem representado pela concretude da sua obra.
A multiplicação do pensar e do agir.
A concretude de um sonho. Alguém ousou e não se aquietou.
Alguém, foi oleiro, pôs a mão na massa e, juntos
presentearam a humanidade com esso belo legado.


Essa rainha milenar
atravessou mais de um século  para ser construída
resiste em toda sua glória
abraçando a cidade luz .
Somos todos forasteiros encantados com sua grandiosidade e beleza.
Ao entrar nessa casa, somos acolhidos em oração.
Acendemos uma vela em gratidão.
É isso que sou: grata!


PS.
Turista que sou, lanço mão da fotografia
não me contento com o concreto/abstrato
colhido na retina
quero o concreto das lentes e câmeras
me pego em clics,
quero levar essa beleza na tela do meu smartphone.
FATIMA MOTA
Enviado por FATIMA MOTA em 16/04/2019
Reeditado em 17/04/2019
Código do texto: T6624614
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
FATIMA MOTA
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
1359 textos (119731 leituras)
7 e-livros (438 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/05/21 19:45)
FATIMA MOTA