Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Passeio no Píer

A prosa chega quando sentada me encontra no píer da vida...
Olho o céu tão azul dando sorrisos ao mar enquanto as gaivotas brincam com suas asas colorindo, entre o céu e o mar, o ar da vida.

Os meus pés brincam nus nas águas azuis deste mar manhoso, que neste momento assiste o vôo das gaivotas. Suas ondas surgem macias com riscos de espumas brilhando ao sol. O olhar vaga passeando entre o céu e a terra, com vontade de emergir no horizonte em busca de ilusões distantes.

O dia passa vagarosamente, com preguiça sem a pressa das horas, que parecem ter ido embora deixando a natureza livre para reinar. Eu neste mundo tão particular me entrego neste azul respirando o banho das cores e sentindo a brisa em respingos do mar molhar meu vestido. Um momento íntimo onde o paraíso parece descer dos céus para brindar a terra.

Lembro dos meus desejos tão secretos, das sensações que trago tão escondido, dos meus pedidos silenciosos que povoam este universo tão meu.Se alguém olhasse nesta imagem talvez em uma fresta de azul pudesse ver os segredos tão ternos e ao mesmo tempo tão lascivos, voando nestas nuvens abertas.O meu corpo ainda palpita em sensações que agitam os meus detalhes mais cobertos, sem que ninguém perceba meu espaço interno; que ainda me leva em grandes alturas e quantos sonhos perfeitos desfilam dentro de mim...

O fim da tarde chega ainda brincando no meu rosto, o vento desabotoa meu vestido deixando seu perfume no vão do entre a ver no colo dos meus seios. É neste momento de suprema serenidade que você se aproxima sem licença, invadindo meu espaço num olhar ousado.Desprevenida em meu devaneio surges além da fresta de nuvens, se materializa no cenário como um toque de magia.Senta-se tão próximo e calado acompanha o movimento dos meus pés na água.Olhas inquisitivamente como quem sabe e conhece bem meus pensamentos.Sinto que reparas no vestido coberto de respingos de água, que cola em meu corpo deixando moldada a minha silhueta.
Senta-se ao lado, fixa teu olhar acompanhando o movimento dos meus pés ainda submersos na água.Recolho ligeiro este movimento, insegura, tentando manter-me distante.Mas a tua audácia e ousadia com força movimentam as águas, com o balanço dos teus pés que espirram mais gotas em minha saia rodada.O vento teu cúmplice auxilia na façanha e sem limites levanta a beirada da saia, deixando teu olhar aguçado na brincadeira silenciosa derramar o sorriso em teus lábios.

Sem muito pensar, apenas em impulso tentando fugir da situação levanto-me bruscamente e neste misto de ansiedade com perturbação é que escorrego no píer caindo sobre teu corpo.Paralisada na ação, com o olhar buscando um refúgio, teus braços movimentam acolhendo-me em um doce abrigo.Em uma perfeita conjugações de contornos unidos, ficam sem que nenhum dos dois mude o prelúdio que se instala.As emoções estremecem nossos corpos de onde flui a energia da alquimia. Somos dois em um, as palavras são desnecessárias o corpo tem todas as falas.

O teu olhar penetra nos meus em uma mistura de parcerias tuas mãos se tornam ondas arrastando –me em profundos mares que me entrego vencida, extasiada dentro do clima.
Permito-te todas ações e te envolvo em todas emoções.Surpreendes com minha ternura e minha sensualidade, unidas desencadeando em tuas íntimas sensações vorazes deixando-o perder o controle do tempo e do espaço.Nossos desejos atingem patamares inviáveis no píer, recobrar o controle já se torna impossível.Vejo em teus olhos a razão mostrando que vais me levar para teu covil, que sua presa serei sem outra opção tanto quanto você pertence aos meus braços e deles já não quer mais sair.

Levantas e me carregas em seus braços, sem pressa absorve um abraço, colocando-me na sua frente.Nossos corpos são peças que se encaixam com perfeição, nesta quimera teus olhares ainda mergulha no meu.Sabemos de todos nossos silêncios na paixão clamados de amor na união.

O sol vai se pondo no horizonte, as gaivotas soam avisando que o tempo até então parado a nossa volta esta para retornar, tuas mãos tocam meu rosto para na suavidade do momento marcar em meus lábios o movimento sublime de um beijo...

O píer continua ali parado, vazio olhando céu e o mar...
(Penélope*M*)

Marli Franco
Enviado por Marli Franco em 25/09/2007
Código do texto: T668549
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marli Franco
São Paulo - São Paulo - Brasil
397 textos (6746 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 14:39)
Marli Franco