Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Saindo para a vida, lá fora



Incrível o tempo que se perde com o que já está deveras perdido. Penso que o ser humano tem muito disso, de antropologia e do mapa do tesouro, infinitas que são as buscas que o envolvem. No entanto, mesmo sabendo que o presente escorre feito água derramada, ainda assim, o momento acaba esquecido em sua possibilidade e acontece apenas no abstracionismo das procuras utópicas, irreais e fantasiosas. Alimentar-se do inviável parece causar a dor tão desejada. O sofrimento inventado, partindo da premissa de que "aquilo o que não possuo é o que realmente me falta", e as ambiguidades existenciais, passam a conduzir toda uma situação, que leva qualquer um a uma sequência de equívocos inesgotáveis.

A compreensão dos fatos somente é possível a partir de uma avaliação profunda e sincera de si mesmo. Nada acontece por acaso ou porque era necessário acontecer. Conduzimos as coisas dessa forma e , na maioria das vezes, criamos nossos maiores enganos, sem que tenhamos a consciência (presente) do que está acontecendo diante de nossos olhos.

Subtrair o tempo é algo que ainda não foi conseguido pela ciência. Tempo ido, não volta. Desperdício corrente e inafiançável, descaracterizando a própria razão do viver. Então, como fazer? Pausa para meditação. Trinta minutos para um bom banho, uns dez para cair dentro das roupas e três para abrir a porta da frente e sair para a vida, lá fora...


SATURNO
Enviado por SATURNO em 11/10/2007
Reeditado em 03/07/2013
Código do texto: T690277
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SATURNO
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
660 textos (48496 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 05:30)
SATURNO