Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O cravo e o anjo

O anjo diz:

_ A vida é bela, abra!
E o cravo se recusa.
_ Abra! Ordena o anjo.
_ Não posso, o mundo é mal.
Sou delicado.
Porque me destes forma tão frágil?
_ Jamais, lhe disse o anjo, entenderei
um cravo que não queira abrir.
Você é um cravo como os outros.
_ Porém, os outros são mais belos,
disse o cravo em resposta.
_ Só não é como os outros porque não te abre.
Se te abrir, tua beleza refletirá a luz do sol.
E os homens poderam te ver, afinal.
Os beija-flores virão sugar a tua seiva,
E as abelhas, que produzem mel.
(Lembra-te que as abelhas produzem mel).
O mel é puro. E tudo começa com a tua seiva.
Permita que o mundo conheça tua seiva!
Dê ao mundo tua seiva!
_ És, meu anjo, por quem tenho admiração.
Mas, como é difícil abrir...
Os ventos fortes doem quando as pétalas se desagrupam.
_ Deixa eu te dizer que você é uma das mais belas flores
que me foi permitido criar.
Necessito de ti para alimentar outros seres.
Deixa de ser egoísta!
Não convém egoísmo a um ser tão bonito.
Abre!

E o cravo, que não queria abrir,
Permaneceu pensativo.
Mas, as palavras do anjo lhe tocaram
de uma maneira muito especial.
É preciso que haja esperança.
Tenha esperança, pequeno cravo!
És bonito e não sabes.
Foi o anjo que falou.
Arpejo
Enviado por Arpejo em 13/10/2007
Reeditado em 14/11/2007
Código do texto: T692159

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor w o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arpejo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 40 anos
83 textos (3560 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 17:14)
Arpejo