Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEUS INDEFINIDOS PRONOMES

Sou alguém para muitos alguns e
ninguém para muitos outros.
Nesse horizonte, na busca do equilíbrio,
é que se vive.
As vezes o peso é maior no lado da dor,
as vezes encontra-se o prazer, e em outros momentos surge com a bandeira da indiferença.
Desta forma, me faz lembrar que há diversos caminhos, e que o único em que nos leva a andar para frente é o que pavimenta a nossa verdade e nos move para o amor.
Por isso, caímos para que possamos conhecer o significado de como é levantar de verdade, o conhecimento intríseco do nascimento do sol... lição diária da natureza.
Choramos também para recordarmos que existem diversos andares para baixo, e assim percebermos o valor do sorriso, de quem sorrir pra você.
Defino-me, com os pronomes, indefinidamente. Como o instante que define e passa urgentemente, vivo conforme dias e noites, a passar infinitamente.
Portanto, para os alguns em que continuo alguém,
vivo aprendendo com as semelhanças que alimentam nossas verdades,
e para os outros em que continuo ninguém,
aprendo a viver com as diferenças reconhecendo as nossas mentiras.
Naldo Coutinho
Enviado por Naldo Coutinho em 23/10/2007
Reeditado em 22/10/2017
Código do texto: T705804
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Naldo Coutinho
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
114 textos (7094 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 13:49)
Naldo Coutinho