Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MOMENTOS

COLETÂNEA
 
Folha de papel em branco,
Mãos molhadas,
Maquiagem perdida.
//
O quarto largado,
Cama desfeita,
Não há sono nem sonhos.
//
A comida é resto,
Fria e fedida,
Feiosamente magra.
//
O retrato enviesado,
Amarelo e rasgado,
Um lindo vestido.
 //
No passado uma glória,
Hoje uma memória,
Amanhã ausente.
//
Como alimentar-se deste lírico produto?
Quem vende emoção irresistivelmente espontânea?
Uma poesia, muitas folhas e um sonoro não,
Vende-se tudo, mesmo o despertar para a vida,
Num verso qualquer, solto como pássaro.
//
Já me chamaram de tudo, até de poeta.
Como não souberam a diferença
entre poema e notícia de jornal,
Acho que tentaram foi falar mal
da minha pobre mãe.
//
Tem dias que eu não deveria sequer
olhar para um micro computador,
foi o que recomendou meu professor
de português.
//
Como fugir de uma paixão que nos domina,
talvez se entregando a ela.
//
Agora sim, estou pronto para escrever,
entrego-me de corpo e alma.
//////////DEVANEIOS/////////////
Falo da perfeição como a conta certa do chá.
Tão perfeita é que não carece explicar.
Só sendo perfeito para saber a mulher,
//////////////////////////////
Sou o rei dos defeitos.
Sou mesmo é afeito ao olhar,
Esse não me engana seja ele perfeito ou não,
O olhar penetra onde minha razão não enxerga.
////////////////////////////////
E o que são as manias, meus Deus,
Só acredito nas dos outros,
As minhas são movimentos pontuais.
///////////////////////////////
Consegui equilibrar casa com trabalho,
Larguei dos dois e me equilibro na miséria.
///////////////////////////////
Dos grandes defeitos que tenho, o pior é a descrença,
Já orei, rezei, fiz trabalho na esquina e nada de me curar.
///////////////////////////////
Passo meditando boa parte do meu tempo,
Aprendendo uma nova filosofia de vida,
Pena eu ser tão esquecido.
///////////////////////////////
Se não acho graça numa piada, morro de rir do bobo que a contou.
//////////////////////////////
Se um poeta me diz sua verdade,
Logo entendo sua poesia,
mas se vier dele em forma de poema,
direi que é mentira.
Jose Carlos Cavalcante
Jose Carlos Cavalcante
Enviado por Jose Carlos Cavalcante em 28/10/2020
Código do texto: T7098762
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Jose Carlos Cavalcante
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 61 anos
811 textos (59878 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/21 21:57)
Jose Carlos Cavalcante