Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

*JOÃO NINGUÉM DA PRAIA*

***********************
EU SOU JOÃO NINGUÉM DA PRAIA,
UM MENINO DE QUINZE ANOS,
NASCIDO E CRIADO
NUMA CASINHA DE CACHORRO.
SOZINHO NO MUNDO,
SINTO FRIO, NÃO TENHO NORTE
E TENHO MUITA FOME;
SINTO AUSÊNCIA DE AMOR E SORTE.


DIA E A NOITE, NOITE E DIA,
TENHO UM GRANDE AMIGO INVISÍVEL,
QUE SE CHAMA TOLEDO,
COM ELE CONVERSO...
FALO DA MINHA TRISTEZA

TRÊS DIAS PARA CHEGAR O NATAL,
FICO OLHANDO AS VITRINES;
TANTOS SAPATOS , ROUPAS COLORIDAS...
ENQUANTO ESTOU DESCALÇO E COM FRIO


VEJO CRIANÇAS SORRINDO COM SEUS PAIS
COMENDO, LANCHANDO, SORRINDO...
... E MEU ESTÔMAGO DOENDO
NÃO SEI QUEM ME PARIU
OU POR QUE FUI PARIDO.


NAS ENTRANHAS DO HORROR
TOLEDO SEMPRE ME DIZ:
- JOÃO NÃO CHEIRE COLA!
MAS DIANTE DE TAMANHA FOME,
TENHO QUE LUDIBRIAR MINHA MENTE.


TENHO ORGULHO: NÃO VIVO DE CARIDADE;
ASSALTO VELHINHAS, SURRAPEIO CARTEIRAS...
E, ARREPENDIDO, ENTRO NA PRIMEIRA IGREJA,
AJOELHO-ME DIANTE DO CRUCIFICADO,
PEÇO PERDÃO, CONVERSO COM ELE...
MAS, EM POUCO TEMPO, ESTOU EU LÁ DE NOVO PECANDO,
ROUBANDO DINHEIRO NAS ESQUINAS .


NINGUÉM QUER ME OFERECER  EMPREGO
A UMA CRIATURA NEGRA, FRANZINA , MAL NUTRIDA...
TOMAR CONTA DE CARROS É UM INFERNO!
APROVEITO SÓ AS MIGALHAS, POIS TENHO QUE ENTREGAR
O BRONZE PARA O DONO DA BOCA.


EU LEVO TORRADA DE BANDIDO NA CARA
ISSO NÃO AGUENTO... LOGO DE BANDIDO!
QUALQUER DIA VAI DAR EM SANGUE...
EU MATO O FULANO SEM CEMÊNCIA!


HOJE ESTOU ME SENTINDO MUITO SOZINHO!
TOLEDO NÃO ESTÁ COMIGO,
FOI FAZER UMA VIAGEM,
FOI VISITAR SUA LINHAGEM.
ESTOU COM ÁGUA NA BOCA
DIANTE DESSA MÁQUINA DE ASSAR FRANGO,
QUE CHAMAM DE TELEVISÃO DE CACHORRO.


MINHA ALEGRIA É NA PASSAGEM DO ANO
COM AS OFERENDAS DEPOSITADAS NA PRAIA!
O SENHOR NÃO SABE
COMO DEGUSTO AQUELA COMIDA DE SANTOS;
LÓGICO QUE PEÇO LICENÇA,
POIS NÃO SOU INCRÉDULO,
SEI QUE AQUILO ALI TEM DONO.
ACREDITO NO MUNDO INVISÍVEL,
RESPEITO E TENHO FÉ NO SANTO.


AINDA NÃO VIREI BANDIDO
POR CONSELHOS DE TOLEDO;
VONTADE ATÉ TENHO,
MAS ME SEGURO.


SONHO SEMPRE COM MEU EXTERMÍNIO...
NÃO VEJO SENTIDO VIVER ASSIM
SEM IDENTIDADE E CARINHO DE FAMÍLIA.
SÃO MUITOS OS DESGOSTOS...
ACHO QUE NÃO VOU AGUENTAR
ISSO POR MUITO TEMPO.


NÃO SOU LARANJA PARA PASSAR DROGA,
MAS MORO ONDE MORA O PERIGO
E A TENTAÇÃO É MUITA!
OUÇO DIZER TANTA COISA...
EU PODERIA ESTAR COM MUITA GRANA...
SEI QUE OS QUE CAIRAM NA TENTAÇÃO
FORAM MORTOS OU MUTILADOS.
EU FAÇO PEQUENOS FURTOS, ROUBO COMIDA...
E AINDA NÃO TENHO MINHAS MÃOS SUJAS DE SANGUE
AINDA!


FELIZ NATAL PARA TODOS!
NÃO DERRAMO LÁGRIMAS,
PORQUE NÃO AS POSSUO MAIS... ESTOU SECO!
ALÉM DISSO,
NÃO SEI SE ESTAREI VIVO NO PRÓXIMO ANO.


EU LHE DIGO, MUNDO:
NÃO TE DECODIFICO,
NEM TE ABOCANHO!
EU NÃO TE ENTENDO MUNDO!


SOU O JOÃO NINGUÉM DA PRAIA
NEGRO, FRANZINHO, MAL NUTRIDO,
NASCIDO E CRIADO
NUMA CASINHA DE CACHORRO!

SAM MORENO
Enviado por SAM MORENO em 10/11/2007
Reeditado em 29/02/2008
Código do texto: T731035

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SAM MORENO
São Paulo - São Paulo - Brasil
599 textos (60840 leituras)
3 e-livros (277 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 02:04)
SAM MORENO