Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ela e suas elas...

Existe nela esse quê de ousadia fora de hora, onde tudo se mistura, flui e ela adora.
Na lava incandescente que a deflora
A volúpia se instala e ela pequena, se agiganta.
Dá asas à mulher que vive abrigada em seu íntimo e que poucos tiveram a oportunidade de conhecer. Inclusive ela mesma.
Existe nela esse quê criança em desatino, que sonha acordada, revive sorrisos,
recria orgasmos e se diverte.
Ambas, criança e mulher vivem em harmonia dentro desse ser, que incompreendida as suas idéias entreabertas e obtusas confundem-se, co-fundem-se. - É melhor tachá-la louca!
Dizem alguns, enquanto outros, bem poucos, a definem por guerreira-menina-feliz.
Nela o lado criança é mais presente, mais íntegra também. O não corrompido silêncio e sorriso.
A metade mulher vivencia um claustro consentido, onde a única porta é aberta pelo mágico fascínio ato da conquista, olhar, sorriso, tom de voz, toque, beijo, gosto, pele, química.
E a “insana-mulher-menina” cresce, se espande. Orgasmos em brumas convulsivas ondas.
E assim passam-se os dias, dentro e fora de si...
Descanso no encontro de bocas úmidas e lascivas... dorme ao entregar a si no outro que lhe completa.
E a menina encontra abrigo entre as pernas do amante, em seus braços, em seu peito se refaz de ser mulher.
Jaqueline Serávia
Enviado por Jaqueline Serávia em 25/11/2007
Reeditado em 25/09/2009
Código do texto: T752066

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Jaqueline Serávia
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
233 textos (6466 leituras)
1 áudios (44 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 16:28)
Jaqueline Serávia