Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vejo tudo como se fosse hoje

     Aconteceu numa tarde de chuva. Eu estava do alpendre, quieto, a olhar a chuva. As águas descendo formavam uns mil riozinhos. O vento dobrava as mangueiras e as frutas que estavam maduras esborrachavam no chão com pequeninas explosões. Os relâmpagos, a toda hora, passavam correndo no céu, com pressa de ir a algum lugar. A tempestade não deixava sair de casa, mas que vontade de apanhar aquelas mangas amarelinhas!  Pena que elas se estragavam todas.

     No fundo do quintal, houve três coqueiros fazendo a divisa do quintal do vizinho. Deles, só um restava e, já velho, talvez não durasse muito. E não durou mesmo: uma ventania repentina e momentânea arrancou violentamente uma parte da velha árvore. Na tempestade, mais um morria.

     Não sei por que, mas disso nunca mais pude esquecer. Relembro tudo perfeitamente, vejo tudo como se fosse hoje.

(Pitangui, MG, 1966)
William Santiago
Enviado por William Santiago em 06/02/2019
Código do texto: T6568819
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
William Santiago
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil, 69 anos
563 textos (13476 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/07/19 16:54)
William Santiago