Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Redação Formato ENEM /A persistência do trabalho escravo no Brasil

     Apesar da alternância de poder, tanto políticas liberais, quanto aquelas mais sociais, foram ineficientes na tentativa de erradicar o trabalho escravo no Brasil, que persiste e é um problema que deve ser encarado com mais efetividade.
     Etimologicamente o termo "trabalho" vem do latim "tripalium", que na Roma antiga foi um instrumento de tortura para punir escravos por alguma sublevação ou desacato. É importante corroborar que no contexto atual, o Brasil é um país pós abolicionista, mas, apesar disso, o cerceamento das liberdades no ambiente trabalhista ainda se faz presente. Um exemplo disso são os meios em que se necessita de mão de obra sazonal, que por haver pouco contato com a cidade, dificulta o acompanhamento de casos de trabalho forçado. É deplorável que ainda exista essa exploração ilegal do homem pelo homem.
     Ademais, em Física clássica o trabalho é diretamente proporcional ao produto da força pela distância e pelo cosseno do ângulo formado entre elas, todavia, seu significado é muito mais amplo que a dedução algébrica, ele mensura a energia gasta na execução de uma força. Sobre isso, é relevante correlacionar que aqueles que produzem e dissipam sua energia, necessitam de condições materiais para se manterem motivados. É prejudicial para a condição de indivíduo que a federação não seja mais incisiva nesse impasse.
     Infere-se, portanto, que em virtude dos fatos supracitados, cabe ao Estado intervir por meio do Ministério Público no rastreio das denúncias dessa relação compulsória, visando a punição dos responsáveis; conjuntamente, delega-se ao Ministério da Educação, seguindo a máxima kantiana "O homem é aquilo que a educação faz dele", a elaboração de campanhas que tragam a questão para o cerne social, de modo que as pessoas tenham o esclarecimento de que apesar do fim da escravidão, ainda persistem as relações desumanas no modo de produção em pleno século XXI, no próprio Brasil. Deve-se utilizar meios de fácil propagação, como a internet e as mídias televisivas. Estima-se que em curto prazo a questão tenha significativa redução graças à reverberação midiática, e em longo período, que as denúncias gerem punição severa, visando a erradicação da problemática.
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Enviado por Alexandre Alves Porfirio Vieira em 29/04/2019
Código do texto: T6635323
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Alves Porfirio Vieira
Santo André - São Paulo - Brasil, 28 anos
57 textos (2322 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/11/19 20:58)
Alexandre Alves Porfirio Vieira