Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MAÇONARIA, uma viagem encantadora.

Eis que uma venda me cobre os olhos quando a luz é o que eu mais desejo.
Conduzido sou por alguém que não conheço, mas que naquele momento confio "cegamente".
A viagem me tira a noção de espaço, nem sei por onde caminho ou estou.
Apenas de mãos dadas ao meu guia transito por meio a situações que me causam grandes reflexões.
Chegamos a um local e me tiraram a venda, uma sala escura onde a morte ou vida ali estava presente. Caveira, galo, enxofre e outros itens me remetiam ao misticismo mas de nada ali eu compreendia, apenas refleti nas frases mencionadas nas paredes e logo fui chamado a sair.
Vendado voltei a ficar e a viagem prosseguiu. Não sabia o que iria ocorrer mas continuo confiante em quem conduz me falavam sobre provas, viagens perigosas e que por elas passaria se nele confiasse. Quando me dei por conta em meio a guerra eu estava, o tlintar de muitas espadas meu coração alem da conta pulsava mas confiante prossegui. Nas viagens conheci elementos água, fogo, vento e terra ainda pasmos e confiante não acabavam as diferentes sensações. cheguei a saltar de um penhasco numa rampa muito íngreme onde meu coração na garganta já pulsava.
Do doce ao amargo, me senti perdido e aflito quando ao meu lado me carregaram aos gritos. A missão ia seguindo me formando um novo homem, cada passo ali dado me moldava um melhor ser.
Ao local que me tiraram para ali me retornaram, uma breve explicação do porque aquilo ocorria, recebia instruções mas era muita ansiedade e no meu coração um grande medo é verdade.
Enfim chegou a hora de a luz que almejava poder ser ali contemplada, ao som forte de instrumentos quase sem enxergar nada a venda removida entendi o que conquistava.
Muitos irmão me esperavam com espadas em suas mãos por mim se dispuseram a travar qualquer guerra.
Deixei pra fora meu velho ser, nasci agora pedra bruta e nesta nova caminhada lapidado quero ser, junto-me a eles nesta luta, pra vencer minhas paixões, cavar masmorras aos vícios e levantar templos a virtude.
Ali foi onde comecei, ali é onde se inicia, ali é onde descobrimos que podemos ser melhor a cada novo dia.
Descobri que nada sei, descobri que bruto sou, descobri que uma vida toda não sera suficiente para deixar de ser um eterno aprendiz.
Ao GADU minha gratidão.
ERON ROSA
Enviado por ERON ROSA em 07/07/2019
Reeditado em 12/07/2019
Código do texto: T6690215
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ERON ROSA
Curitiba - Paraná - Brasil, 38 anos
108 textos (8178 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/19 22:45)
ERON ROSA