Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Seleção Do Elenco De Beleza Americana


O elenco principal. Em sentido horário: Kevin Spacey, Annette Bening, Thora Birch, Mena Suvari, Allison Janney, Wes Bentley e Chris Cooper.
Mendes tinha Kevin Spacey e Annette Bening em mente para os papéis principais desde o início, porém os executivos da DreamWorks não estavam tão entusiasmados. O estúdio sugeriu várias alternativas, incluindo Bruce Willis, Kevin Costner ou John Travolta para Lester, e Helen Hunt ou Holly Hunter para Carolyn. Mendes não queria uma grande estrela "tirando o peso do filme"; ele achava que Spacey era a escolha certa baseado em suas performances em Glengarry Glen Ross (1992), Seven (1995) e The Usual Suspects (1995). O ator ficou surpreso; ele disse, "Eu geralmente interpreto personagens que são bem rápidos, bem manipulativos e espertos … eu geralmente avanço para o lado sombrio, de águas traiçoeiras. Este é um homem vivendo cada passo em seu tempo, jogando pelos instintos. Isso é na verdade bem mais parecido comigo, ao que sou, do que esses outros papéis". Mendes ofereceu o papel de Carolyn a Bening sem o concentimento do estúdio; apesar de terem ficado bravos com ele, a DreamWorks entrou em negociações com Spacey e Bening em setembro de 1998.

Spacey vagamente baseou o comportamento inicial de Lester em Walter Matthau. Durante o filme, o físico de Lester melhora de flácido a tonificado; Spacey se exercitou durante as filmagens para melhorar seu corpo, porém devido ao fato de Mendes ter filmado as cenas fora de ordem cronológica, o ator variou sua postura para interpretar os estágios. Antes das filmagens, Mendes e Spacey analisaram a atuação de Jack Lemmon em The Apartment (1960), porque Mendes queria que Spacey emulasse "o modo que [Lemmon] se movia, o modo que ele olhava, o modo que ele estava naquele escritório e o modo como ele era um homem ordinário mas ao mesmo tempo um homem especial". A narração de Spacey é uma referência a Sunset Boulevard (1950), que também é narrado em retrospecto por uma personagem morta. Mendes achou que isso evoca a solidão de Lester – e a do filme. Bening lembrou de mulheres de sua juventude para criar sua interpretação: "Eu costumava ser babá constantemente. Você vai até a igreja e vê como as pessoas se apresentam no lado de fora, e então vai para dentro de suas casas e vê a diferença". Bening e um cabeleireiro colaboraram para criar a "coifa de presidente de uma associação de pais", e Mendes e a diretora de arte Naomi Shohan pesquisaram catálogos de vendas para estabelecer o ambiente de "mansão suburbana impecável" de Carolyn. Para ajudar Bening a entrar na mente de Carolyn, Mendes deu a atriz músicas que ele acreditava que a personagem gostaria. Ele lhe entregou a versão de Bobby Darin da canção "Don't Rain on My Parade", que Bening gostou tanto a ponto de persuadir o diretor a incluir uma cena mostrando Carolyn cantando no carro.

Para os papéis de Jane, Ricky e Angela, a DreamWorks deu a Mendes carta branca. Em novembro de 1998, Thora Birch, Wes Bentley e Mena Suvari haviam sido contratados para os papéis – no caso de Birch, apesar do fato de ela ainda ser de menor idade para sua cena de nudez. Bentley superou uma competição com atores bem conhecidos com menos de 25 anos para ser escalado. Para se preparar, Mendes deu a Bentley uma câmera, dizendo para o ator filmar tudo aquilo que ele achava que Ricky filmaria. Peter Gallagher e Allison Janney foram selecionados (como Buddy Kane e Barbara Fitts) depois que as filmagens se iniciaram em dezembro de 1998. Mendes deu a Janney um livro contendo pinturas de Edvard Munch. Ele disse a ela: "Sua personagem está lá em algum lugar". Mendes cortou muito dos diálogos de Barbara, incluindo muitas conversas dela com o Cel. Fitts, já que ele achou que aquilo que era necessário se dizer sobre o casal – sua humanidade e vulnerabilidade – foi transmitido de forma bem sucedida através de seus momentos de silêncio juntos. Chris Cooper interpreta o Cel. Fitts, Scott Bakula interpreta Jim Olmeyer e Sam Robards interpreta Jim Berkley. Jim e Jim foram deliberadamente mostrados como o casal mais normal, feliz – e chato – de todo o filme. A inspiração de Ball para os dois veio após um pensamento que ele teve ao ver um "casal heterossexual brando e chato" que estavam usando roupas combinando: "Mal posso esperar para a época em que um casal gay será tão chato quanto". Ball também incluiu aspectos de um casal homossexual que ele conhecia aos nomes das personagens.

Mendes insistiu em duas semanas de ensaios com o elenco, apesar das seções não terem sido tão formais como costumam ser no teatro, e os atores não podiam estar presente em todas. Várias improvisações e sugestões feitas pelos atores foram incorporadas ao roteiro. Uma cena no início do filme mostrando os Burnham saindo de casa para trabalhar foi inserida tarde na produção para mostrar o quão baixo a relação de Lester e Carolyn tinha chegado. Spacey e Bening trabalharam juntos para criar um senso do amor que suas personagens tinham para com a outra; por exemplo, a cena em que Lester quase seduz Carolyn depois do casal ter brigado sobre ele ter comprado um carro novo foi originalmente "contenciosa em sentido estrito".
Vinicius Moratta
Enviado por Vinicius Moratta em 07/09/2019
Código do texto: T6739866
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vinicius Moratta
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
1018 textos (37563 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 14:59)