Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Filmagens Do Beleza Americana


As filmagens duraram cinquenta dias, de 14 de dezembro de 1998 até fevereiro de 1999. American Beauty foi filmado nos estúdios da Warner Bros. em Burbank, Califórnia, em Hancock Park e em Brentwood, bairros da cidade de Los Angeles. Os planos aéreos do começo e final do filme foram gravados sobre Sacramento, Califórnia, e muitas das cenas que se passavam na escola foram feitas na South High School, em Torrance, também na Califórnia; vários dos figurantes no público do ginásio eram estudantes de South High. O filme se passa em um bairro de classe média-alta de uma cidade norte-americana não identificada. A diretora de arte Naomi Shohan gostou de Evanston, Illinois, porém disse, "Não é sobre o lugar, é sobre um arquétipo … Os arredores eram basicamente Qualquer Lugar, E.U.A. – subúrbio em ascensão". A intenção era do cenário refletir as personagens, que também eram arquétipos. Shohan disse, "Todos estão muito fatigados, e suas vidas são construídas". A casa dos Burnham foi desenhada para ser o oposto à dos Fitts – a primeira um ideal imaculado, porém sem graça e faltando "equilíbrio interior", levando ao desejo de Carolyn de pelo menos criar uma aparência de "perfeita casa americana"; a casa dos Fitts é mostrada em "escuridão e simetrias exageradas".

A produção selecionou duas propriedades adjacentes na "Blondie Street" do estúdio da Warner para as casas dos Burnham e dos Fitts. A equipe reconstruiu as casas para incorporarem cômodos falsos que estabeleciam ângulos de visão – entre as janelas dos quartos de Ricky e Jane, e entre o quarto de Ricky e a garagem de Lester. As janelas foram especificamente desenhadas para obter o plano crucial ao final do filme em que o Cel. Fitts – olhando do quarto de Ricky – erroneamente assume que Lester está pagando Ricky para fazer sexo. Mendes quis estabelecer o ângulo de visão cedo no filme para criar um senso de familiaridade no público com o plano. Os interiores das casas foram filmadas na Blondie Street da Warner, em locação, e em cenários especiais construídos em estúdios quando tomadas de cima eram necessárias. O interior da residência dos Burnham foi gravado em uma casa perto da Rodovia Interestadual 405 e da Sunset Boulevard em Los Angeles; o interior da residência dos Fitts foi gravado em uma casa no bairro Hancock Park. O quarto de Ricky foi desenhado para se parecer com uma cela e sugerir sua personalidade "monacal", enquanto ao mesmo tempo se misturando com o equipamento de alta tecnologia que reflete seu voyeurismo. A produção deliberadamente minimizou o uso da cor vermelha, já que era um importante elemento temático em outros lugares. A casa dos Burnham usava cores azuis frias, enquanto a dos Fitts seguia uma "palheta militar depressiva".

O estilo visual dominante de Mendes foi deliberado e composto, com um desenho minimalista que fornecia "um sentimento esparso, quase surreal – uma interpretação brilhante, nítida e quase Magritte do subúrbio americano"; Mendes constantemente fazia com que seus decoradores esvaziassem o quadro. Ele fez as cenas das fantasias de Lester "mais fluídas e graciosas", e o diretor fez uso mínimo da steadicam, achando que planos estáveis geravam mais tensão. Por exemplo, quando Mendes usou uma pequena aproximação para a mesa de jantar dos Burnham, ele manteve o plano porque seu treino como diretor de teatro o ensinou sobre a importância de manter certa distância entre as personagens. Ele queria manter a tensão da cena, apenas cortando o plano quando Jane deixa a mesa. Mendes usou uma câmera de mão para a cena em que o Cel. Fitts bate em Ricky. O diretor disse que a câmera deu à cena uma "cinética … energia fora de equilíbrio". Câmeras de mão também foram usadas nos trechos das gravações de Ricky. Ele demorou para conseguir o nível de qualidade desejado para as gravações. Para a imagem do saco plástico, ele usou ventiladores para mover o saco pelo ar. A cena foi gravada em quatro tomadas; duas feitas pela segunda unidade não satisfizeram Mendes, então ele gravou a cena por conta própria. Ele achou que sua primeira tomada não tinha graciosidade, porém, para sua segunda tentativa, Mendes mudou o local para a frente de um muro de tijolos e adicionou folhas no chão. Ele ficou satisfeito com o modo que o muro deu definição ao contorno do saco.

Mendes evitou usar close-ups, já que ele acreditava que a técnica havia sido usada em excesso; ele também citou o conselho de Spielberg de imaginar a silhueta do público na parte de baixo do monitor da câmera, que ele estava filmando algo que seria exibido em uma tela de dez metros. Spielberg – que visitou as gravações algumas vezes – também aconselhou que Mendes não se preocupasse com custos se ele tivesse uma "grande ideia" ao final de um longo dia de trabalho. Mendes disse, "Isso aconteceu umas três ou quatro vezes, e todas estão no filme". Apesar do apoio de Spielberg, a DreamWorks e Mendes brigaram constantemente acerca do cronograma e do orçamento – apesar do estúdio ter interferido pouco no conteúdo do filme. Spacey, Bening e Conrad Hall trabalharam por salários significantemente menores do que normalmente recebiam. American Beauty custou quinze milhões de dólares a DreamWorks para produzir, pouco a mais do que o projetado. Mendes ficou tão insatisfeito com os três primeiros dias de filmagem que ele recebeu permissão da DreamWorks para refilmar. Ele disse, "Eu comecei com a cena errada, na verdade, uma cena cômica. E os atores a interpretaram de um jeito muito grande … foi má filmada, minha culpa, mau composta, minha culpa, figurinos ruins, minha culpa … E todos estavam fazendo aquilo que eu pedia. Foi tudo minha culpa". Ciente do fato de ser um novato, Mendes se inspirou em Hall, seu diretor de fotografia: "Tomei uma decisão bem consciente desde cedo, se eu não entendesse algo tecnicamente, eu diria, sem constrangimentos, 'Não entendo do que está falando, por favor explique'".

Mendes encorajou algumas improvisações; por exemplo, quando Lester se masturba na cama ao lado de Carolyn, o diretor pediu a Spacey para improvisar vários eufemismos em cada tomada. Ele disse, "Eu queria isso não apenas por ser engraçado … mas porque eu queria que não parecesse ensaiado. Eu queria que parecesse como se ele estivesse falando tudo sem pensar. Spacey está tão no controle – eu queria que eles extravasasse". Spacey obedeceu, eventualmente criando 35 frases, porém Bening não conseguia ficar séria todas as vezes, significando que a cena teve de ser filmada dez vezes. A produção usou poucas imagens geradas por computador. A maioria das pétalas de rosa nas fantasias de Lester foram adicionadas na pós-produção, apesar de algumas serem reais e terem cabos segurando-as, removidos digitalmente. Quando Lester fantasia Angela na banheira cheia de rosas, o vapor era real, com exceção do plano de cima. Para posicionar a câmera, um buraco teve de ser feito no teto, por onde o vapor escapou; ele foi adicionado digitalmente.
Vinicius Moratta
Enviado por Vinicius Moratta em 07/09/2019
Código do texto: T6739868
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vinicius Moratta
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
1018 textos (37553 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 14:12)