Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A árvore dos tamancos, de Ermanno Olmi

A árvore dos tamancos, de Ermanno Olmi
Arnaldo Sampaio de Moraes Godoy

Dirigido por Ermanno Olmi um genial leonino nascido em 24 de julho de 1931, “A árvore dos tamancos” é filme fundamental para problematização da condição humana, especialmente quanto à luta pela educação, e do papel de nós – pais e mães – na construção da identidade de nossos filhos. Mas é um filme muito triste. Ainda que o timing pareça lento para a percepção cinematográfica contemporânea de tempo, o filme emociona até aos mais brutos, isto é, aqueles que apenas sentem frio, fome, sede e calor; e nada mais sutil ou elaborado. Não tem quem não segure uma lágrima. O filme é de 1978.
Ambientado na zona rural do norte da Itália de fins do século XIX, e todo protagonizado por camponeses da região de Bérgamo, “A árvore dos tamancos” é um retrato fiel de uma sociedade pré-industrial. O argumento desdobra-se na opção de um pai que, influenciado por um padre, quebra a tradição de contar com o trabalho infantil e manda um dos filhos pequenos para a escola. Nos 12 km diários da trajetória o pequeno e simpático menino quebra um dos seus tamancos.
A solução dada pelo pai é, ao mesmo tempo, sua redenção, e sua desgraça. A opressão do trabalhador rural italiano, cuja emigração foi sempre a opção mais simples, é o mote desta obra imorredoura. Premiado em Cannes, em 1978, o filme de Olmi permanece atual, pelo menos para aqueles que acreditam que ainda há utopias, para serem sonhadas e vividas.
É um roteiro sentimental para educadores. A condição da paternidade (e da maternidade) é qualidade de permanente atenção para a construção de seres independentes, de quem talvez se espere mais asas, e menos raízes. “A árvore dos tamancos” é também um libelo e uma denúncia à exploração de crianças. Complementa-se, de algum modo, com a leitura de “Capitães de Areia”, de Jorge Amado. É um filme que faz pensar e que nos cobra ação e afeto.

Arnaldo Godoy
Enviado por Arnaldo Godoy em 25/03/2020
Reeditado em 25/03/2020
Código do texto: T6896661
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Arnaldo Godoy
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
166 textos (3223 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/03/20 16:45)
Arnaldo Godoy