Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUINZE

Por que “O Quinze” é um clássico?

Raquel de Queiroz, a primeira dama imortal da Academia Brasileira de Letras, conseguiu a proeza de se consagrar na literatura brasileira com esta obra, por muitos, considerada mediana, mas temos que reconhecer a força do drama realista da nossa gente.

Tendo como pano de fundo um romance platônico-indeciso entre Vicente, um "príncipe" rude do sertão, e uma jovem professora fascinada com a libertação da mulher na sociedade; e ainda, relata sobremaneira a trajetória de retirante de Chico Bento e sua família.

A tragédia física e psicológica surge em decorrência da grande seca no nordeste brasileiro no ano de 1915, dai o título da obra. A caatinga e o sertão é o inferno de Dante, onde os ricos ainda possuem alternativas, e os pobres só lhes restam a esperança.

Chico Bento, homem da terra, matuto nato, sofrido e trabalhador, é obrigado a partir em retirada para o norte a procura de trabalho, e assim vai por terra, levando sua família: sua esposa, a cunhada e cinco filhos, ajudados boa parte por uma mula.

A grande seca vai apunhalando sua família, um a um, e em cada parte do caminho um prejuízo irreparável. Os sentimentos vão virando pedra, as lágrimas se esgotam e não há tempo para frescura, reclamações, nem ladainhas. Mas deus é sempre invocado.

Imaginem perder um filho? E dois? Mas três é imaginável. Imaginem se prostituir para comer. Imaginem dormir na terra dura e pilada, beber água salobra, comer tripas de bode sem lavar. Virar pedinte sem orgulho nem pudor. Nossa vida é o céu e não sabemos.

Vicente pôde esperar um pouco mais, sua família é mais próspera, e no fim, um dia a chuva volta, e na sabedoria da natureza consegue salvar seu patrimônio. Só não salva sua intenção de se casar com Conceição. A chuva vence, mas seu coração cai num emboscada de fofoca.

Todos os sacrifícios e desesperos, todas as atitudes tomadas são determinadas pelo meio, pela falta de livre arbítrio, que se existe, esqueceu de aparecer pelas bandas de Quixadá. Raquel viveu nessa época e nessa região. E como testemunha ocular nos revelou o inferno.

Por fim, ficamos com um livro repleto de palavras rudes e tristes melando nossos olhos. Mas o texto flui, e a imaginação nos toca a alma. Se o livro é mediano ou temperado com realismo rústico é por que tudo ali é verdade. E a verdade em literatura não agrada aos nefelibatas.
WAGNER FERREIRA
Enviado por WAGNER FERREIRA em 28/11/2017
Reeditado em 09/12/2017
Código do texto: T6184548
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
WAGNER FERREIRA
Sorocaba - São Paulo - Brasil
175 textos (9180 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/04/18 04:06)
WAGNER FERREIRA