Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Resenha crítica sobre Lei de Cotas e a Mídia Brasileira: O que Diria Lima Barreto- Maria Salete Magnoni

    No artigo de Maria Salete Magnote, que tem como tema: “Lei de cotas e a mídia brasileira: O que diria Lima Barreto?”, tem como objetivo discutir e analisar a importância das cotas nas universidades públicas, fazendo um paralelo com alguns textos do autor Lima Barreto, e mostrar
o monopólio dos meios de comunicação que manipulam os fatos, e são imparciais quando o assunto é as leis de cotas. Artigo tem total importância e relevância para entendermos do por que e para que as leis de cotas foram criadas.
    Uma das análises da autora que chama a atenção é da necessidade de nos defrontamos com o monopólio dos meios de comunicação, pois no meu ponto de vista o monopólio é um golpe que fere a democracia, a liberdade de expressão e o direito a comunicação, e devemos ficar em
alerta e confrotar estas ideias.
    A Salete faz um questionamento no início do seu artigo que é a seguinte: “Como apostar somente no mérito diante da situação em que a população negra foi colocada no Brasil desde a abolição? Acontece que após a abolição da escravidão o Estado não se preocupou com os
negros libertos, pois não se falou de trabalho, de posse de terra, de moradia de renda e muito menos de escola, principalmente a superior e pública que foi e ainda continua a ser privilégio de diferenciação e ascensão social.
    Dizer que não há desigualdade entre negros e brancos é um ato de hipocrisia e negacionismo histórico. Basta analisarmos quantos por cento de brancos e negros ocupam no sentido morar, nos grandes centros urbanos das cidades brasileiras, e em seguida analisar quantos por
cento ocupam as grandes favelas do nosso país. A partir desta comparação perceberemos a discrepância entre negros e brancos. Faço esta comparação para que venhamos a notar que a palavra meritocracia não cabe nesta situação. A mesma é usada pela elite branca apenas para camuflar, buscar esconder e fingir que não há classe privilegiada, o que não passa de uma
faceta.
    Gostaria de enfatizar como foi a vivência de Lima Barreto, sobre o ensino superior em sua época que foi jornalista e escritor brasileiro e negro que vivenciou as dificuldades para ingressar no ensino superior. Ele relatou que só os ricos podiam formar-se, a exclusão a que estava
submetida a maioria da população que não podia frequentar os cursos superiores por motivos  socioeconômicos. A maioria dos candidatos ao “doutorado” era meninos ricos, sem nenhum amor ao estudo, sem nenhuma vocação nem ambição intelectual, mas sim apenas sem busca de status.
   É notória e se percebesse no artigo que há construções de campanhas violentas que se manifestam principalmente através da mídia contra a lei de cotas, justamente porque a elite branca detentora do poder não quer dividir e nem perder espaços, e privilégios dos quais gozam a séculos, enraizado desde o “início de Brasil” até os dias atuais.
Roben Pedro
Enviado por Roben Pedro em 08/01/2021
Reeditado em 08/01/2021
Código do texto: T7155319
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Roben Pedro
Bezerros - Pernambuco - Brasil, 23 anos
25 textos (3698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/01/21 23:47)
Roben Pedro