Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Apócrifos e pseudo-epígrafos da Bíblia. 9° resenha.

O TESTAMENTO DE ABRAÃO.

   Existem aqueles livros que nos arrebata logo nas primeiras páginas, esse em específico é um deles. Diferente de muitos que já li, as primeiras palavras deste livro prendem o nosso olhar. É de uma simplicidade e beleza poética estonteante, o que por si só, valeria os trinta capítulos que compõem essa obra. O livro aborda o final da vida de Abraão, apresentando o patriarca com o um homem extremamente bondoso - com todos, aliás, ricos e pobres - tal amorosidade como nunca se viu, abrangendo todos os seres humanos, Abraão como todos os mortais, estava destinado a morte, e como esse dia se aproximava, Deus envia o seu Arcanjo Miguel para lhe anunciar que o fim dez seus dias chegava, que era para ele se preparar.
   O anjo que Deus enviou a Abraão o acompanha até a sua casa, o seu filho Isaac, vendo-o, percebe se tratar de um ser celestial.  Miguel, o anjo enviado, confirma para Isaac a promessa feita por Deus a seu pai. Abraão pede ao filho Isaac que prepare uma mesa para ele é o anjo, ambos comem, o anjo sai dali para o céu num piscar de olhos. O anjo se admira diante da bondade e amorosidade de Abraão, não teve coragem de lhe dizer sobre sua morte. O arcanjo retorna a Deus no fim de tarde, para o adorar, pois é costume de todos os anjos assim o fazerem. Miguel fala ao senhor da dificuldade de dizer a Abraão sobre a sua morte, Deus, no entanto, dá a Isaac um sonho referente à morte do pai, para que Miguel lhe dê a interpretação do mesmo. E assim acontece, Isaac adormece e tem o sonho, acorda angustiado e chorando, revela ao pai que sonhou. Sara ao ver a cena, percebe que o visitante em sua casa se trata de um anjo, revelando a seu esposo sobre o fato. Todos percebem que tal visita se trata de alguma revelação do anjo, boa ou ruim.
   O anjo Miguel revela a Abraão do sonho, que ele, Abraão, deve arrumar sua casa, abençoar seu filho, pois sua morte se aproxima. A princípio o velho patriarca fica temeroso, mas o anjo lhe conforta a respeito da inevitabilidade da morte. Abraão pede ao anjo que fale ao senhor, pedindo-lhe permissão, antes da morte, que ele visse os reinos do mundo e tudo quanto há na terra e no céu. Miquel intercede diante de Deus, que por sua vez permite ao seu servo ver os reinos da terra e coisas no céu.
   Abraão é levado por Miguel em uma nuvem, ele então começa a ver os reinos do mundo, toda sua impiedade, sendo justo, questionava o anjo das imoralidades que via. Deus havia dito a Miguel que fizesse tudo quanto Abraão dissesse, e, uma vez, o velho patriarca contemplando tais atrocidade, pedia ao anjo que destruísse aquelas almas atrozes, assim era feito, de sorte que Deus deu ordens a Miguel que mostrasse o reino e mistérios celestiais. No céu lhe foi revelado o mistério da porta estreita e da larga, e do homem no trono, que sorri e chora conforme as almas, após julgadas, entram pelas portas. O homem no trono chora ao ver muitas almas entrando na porta larga, que leva a perdição, mas sorri com as poucas que entram pela porta estreita, que leva a salvação. Abraão é levado por Miguel a outro lugar, e vê o julgamento das almas que ali se apresenta. As que são achadas com máculas e pecados são levadas para os atormentadores( inferno ). Cada alma tem sua vida relatada em livros, onde estão descritos todos os seus atos, bons e ruins, o justo Juiz se vale desses relatos para apresentar para as almas desencarnadas as suas justas sentenças conforme seus atos em vida.
   Terminado de mostrar todas as coisas, o poder de Deus, o julgamento das almas e o seu destino, Abraão é levado de retorno a sua casa, Miguel lhe fala que está na hora de partir dessa vida, que sua hora havia chegado, uma vez mais Abraão se recusa a ir. Miguel retorna ao céu, notifica a Deus do ocorrido, Deus então e via-lhe o anjo da morte para que o traga, porém, o horrendo anjo da morte, com ordens divinas, vestiu-se de beleza e formosura e foi ao encontro de Abraão. A morte se revela ao velho e amado patriarca, revela que foi enviada por causa dele, em determinado momento, a pedido de Abraão mostra-lhe sua verdadeira e horrenda face, revelando ainda os tipos de mortes e a forma que ela, a morte, se apresenta para cada alma. Abraão se recusa a ir, diz que está cansado, a morte pede para que ele toque em suas mãos para ter a suas forças reparadas, era engano da morte, pois ao tocá-lo, sua alma imediatamente se retirou do corpo. Abraão estava morto. Miguel e muitos anjos aparecem para receber a alma de Abraão, que é levada imediatamente ao paraíso de Deus, que, pela vontade do altíssimo, permanecerá lá, para receber naquele lugar de descanso ( agora conhecido como seio de Abraão ) as almas justas daqueles que partiram justificados.
   Belíssimo livro em que descreve o patriarca e amigo de Deus de um modo totalmente diferente.

Tiago Macedo Pena
Enviado por Tiago Macedo Pena em 14/02/2021
Código do texto: T7184100
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Tiago Macedo Pena
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 38 anos
664 textos (20629 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/02/21 03:49)
Tiago Macedo Pena