Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                 
                                     
    SÚPLICA

                 Por que me maltrataste assim,sem piedade?    

                 Por que sempre negaste uma doce ternura?

                 Eu não consigo mais sentir tranqüilidade

                  em meio a tanta droga e com tanta amargura.

 

                 Por que fugiu veloz minha felicidade?

                 Em meu peito vazio,eu busco outra abertura

                 que me faça esquecer-te,olvidando a maldade

                 de sozinho viver,sem nenhuma doçura.

 

                  Com medo de rever-te,através de meu sonho,

                  em outras mãos,em paz,o meu destino eu ponho,

                  numa esperança vã de não te achar presente.

 

                 Imerso em grande dor,eu procuro o carinho

                  que sempre me ajudou em meu triste caminho,

                  pois quero melivrar de todo entorpecente!

 
                                                   (Soneto alexandrino)


                                      26 de junho
                    Dia Internacional do Combate às Drogas

Alda Corrêa Mendes Moreira
Enviado por Alda Corrêa Mendes Moreira em 24/06/2008
Reeditado em 03/12/2008
Código do texto: T1049999
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alda Corrêa Mendes Moreira
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
213 textos (16016 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 23:02)
Alda Corrêa Mendes Moreira