Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Figurações

 
Velhos sonetos que me vêm de um anjo,
e não reputo meus. Sou o instrumento
de incontido e abortivo pensamento
que apenas solto ao mundo, ao mundo esbanjo.

Ó invisíveis razões do meu arcanjo,
que me utiliza o sonho e o sentimento,
para abrir as vazões a um elemento
que o soneto me impõe em velho arranjo...

É uma perseguição de noite e dia
que move ao meu espírito a Poesia
nessa exigência de figurações!

E não sei se bendigo ao anjo insônia,
que se confunde em mim sem cerimônia,
para o registro das contemplações.

João Justiniano da Fonseca
www.joaojustiniano.net
João Justiniano
Enviado por João Justiniano em 17/03/2006
Código do texto: T124392


Comentários

Sobre o autor
João Justiniano
Salvador - Bahia - Brasil, 100 anos
619 textos (25189 leituras)
13 e-livros (1053 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/04/21 18:49)
João Justiniano