Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto de uma espera triste

Brada o pranto taciturno
Transformando em pétala orvalhada
Pela triste gota derramada,
O semblante imerso em breu noturno.

É que chora a esposa consternada
sufocando a voz do próprio peito
porquanto reparte o quieto leito
Com figura honesta e fadigada.

Sofre por não ter por este o amor
Que consagra, muda, a outro ser
Tragando calada o fel da dor.

E por ser cativa de tal sorte
Decidiu, a pobre, que viver
É quiçá, liberta, dar-se à morte.
Orpheus
Enviado por Orpheus em 11/03/2007
Código do texto: T408381

Comentários

Sobre o autor
Orpheus
Uberaba - Minas Gerais - Brasil, 42 anos
10 textos (299 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/20 01:31)