Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu único e infinito amor

E, amargurado, quedo-me a pensar,
a matutar, imaginar a vida
em outras condições, sem despedida
e sem cobranças fúteis, sem ficar

vagando pelas ruas, noite alta,
a esperar que voltes para mim,
a me enganar que não chegou ao fim
o nosso amor. Eu sinto a tua falta,

e sentirei enquanto eu vivo for.
Não me permito agora imaginar
vivendo um outro amor, longe de ti,

pois és o único e infinito amor,
e amor assim não pode se espelhar
na falta que, inocente, cometi.
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 20/08/2005
Código do texto: T44074
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 72 anos
936 textos (291735 leituras)
36 áudios (11211 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/11/20 02:19)
Paulo Camelo

Site do Escritor