Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto ao meu Primeiro Amor...

Eu senti no teu colo o amor que nunca mais me foi dado
Tristeza não poder ter depois... injustificado
Por que tanto amor resultar mágoa nunca explicada

Pensei que nossa forma de amor era agressiva
Doente, viciada... Torpe demais... Sim! Passiva...
Pensei que te deixar era libertar por completo
Errei porque minha alma de amor estava repleto

E menti... Menti... Menti tanto... Mas sempre de medo
Porque estar perto de você é tão curioso
Parece que naquele momento era segredo

E do amor que lhe sinto... Este amor inconteste
Toma a minha alma todos os instantes... Dias e noites
Mata minha alma com força que parece a peste...

Graciliano Tolentino
20 – 05 - 2018
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 20/05/2018
Reeditado em 07/07/2018
Código do texto: T6341772
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Graciliano Tolentino
Bertioga - São Paulo - Brasil
207 textos (5901 leituras)
4 e-livros (334 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/19 13:36)
Graciliano Tolentino

Site do Escritor