Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FRANGO DE BOTECO

A gente foi assim, nunca era assado
De menos ou demais aquele frango
Comido frio ou quente antes do tango,
Entrada de um galeto desossado.
 
O tempo foi virando e revirado
Ficou o futuro como fosse o rango
Que o cachorro de olhos no fandango
Do espeto algo vê e não lhe é dado.
 
A gente não é mais o que nós fomos
Esfomeados do outro hoje nem somos
Cardápio que quisemos para a gente
 
Somos os dois sem tango de boteco,
Sem frango de esqueleto gordo ou seco,
Pagando a conta ingrata no presente.
Erigutemberg Meneses
Enviado por Erigutemberg Meneses em 17/08/2018
Código do texto: T6421491
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Erigutemberg Meneses
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
317 textos (2941 leituras)
4 e-livros (48 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/18 12:08)
Erigutemberg Meneses