Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LIÇÃO DO CAMINHONEIRO

Das coisas simples que de mim não roubaram,
Fica o sorriso que caminho do rio havia.
Olhos nas luzes dos postes voltaram,
No banco do caminhão, deitado eu sorria.

Hoje, da lembrança de meu pai que restou
De menos absurdo, foram dos rios as pazadas.
Retirando montes de areia, as mãos calejadas,
Hoje definindo grande parte do que sou.

“Tarde! Tarde! Pais, não deis mais palmadas!”
Pois dessa mão tão forte e astuta
disseram que agora são águas passadas.

Ladrões, assassinos, são tontos os tais
Que lançam ideias, julgando ideiais,
Que a mim não convencem! Nunca! Nunca!



Alexsander Scarpa
Enviado por Alexsander Scarpa em 11/10/2018
Código do texto: T6473376
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alexsander Scarpa
São Vicente - São Paulo - Brasil, 38 anos
72 textos (1757 leituras)
1 e-livros (7 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/18 20:39)
Alexsander Scarpa