Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MOÇO E O CENTEIO





Há muito a noite se fez aqui de permeio,
E o latir dos cães saúdam as premissas,
Lógicas ou não, do suave canto do centeio,
Das rudes batalhas ao sol, entre liças.

Debruado o cereal, pelo inteiriço da esteira,
O amadurecimento é necessário e o restolho
Revolta-se, mesmo ao lado da sementeira,
Que forma sinuosas sombras, com que escolho

Observar, cá de longe, enquanto o frio
Se faz presente, nesta longa e desperta noite,
Em que fui eleito para ser o dono do pavio,

Que queima sem parar, afastando animais,
Quando lhes proponho um agressivo açoite,
Se o atrevimento passar para lá dos canaviais.

Jorge Humberto
25/09/07










Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 27/09/2007
Código do texto: T670609
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67242 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (542 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 11:56)
Jorge Humberto