Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DO NADA RESSURGINDO






Foram tantos anos desdenhando do amor,
Entregando-me a um fado quase sacrilégio,
Que eu chego a temer perder o seu pendor,
Da desdita me afastar e todo seu sortilégio.

Ainda assim, guardo comigo, o breve louvor,
Que foi não ter perdido, do mundo régio,
Toda a sua contestação, preservando o calor
Das ruas e da fronte o armistício de um colégio.

Porém a vida fora madrasta comigo mesmo,
E quando eu tentei obter a sua assunção,
Não colhi mais que um restrito mundo a esmo.

Hoje, não dou nada por dado, a luta se faz
Dia-a-dia, com a força que tem um coração,
Que, ferido de morte, de erguer-se foi capaz.

Jorge Humberto
09/10/07




 

Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 11/10/2007
Código do texto: T689961
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67245 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (542 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 12:20)
Jorge Humberto