Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pedaços de mim

.:.
Se em mim reside o amor infindo.
E minha voz – que te proclama – é um perene ulular.
Urge-me, ó plena Odes, ao cosmos gritar
No prosaico afã de celebrar o amor pudico da rapariga viçosa, fingindo.

Isto não é digno de mim – seria um meu rompante.
Jamais, doce meiguice, banalizaria tua soberba altivez, teu império.
Ainda que, em devaneio, por um instante.
Imaginas ouvir de mim tamanho vitupério?

Raios me abram a alma abruptamente se assim o fizer.
Porque – bem sabes tu – dama altaneira de qualquer vergel,
Ignomínia, tirana do mais puro e torpe fel.

Nunca celebraste, mesmo em fuga, a desonra da desilusão
Tida por ti como reflexo da irreflexão.
Ontem e sempre serás minha dor, meu mal mister.

Fortaleza-Ce, 28 de setembro de 1999.
15h27min
Nijair Araújo Pinto
Enviado por Nijair Araújo Pinto em 30/10/2007
Reeditado em 22/05/2011
Código do texto: T716860
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nijair Araújo Pinto
Crato - Ceará - Brasil, 46 anos
2196 textos (65185 leituras)
81 áudios (1661 audições)
3 e-livros (542 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 08:38)
Nijair Araújo Pinto