Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Desaba meu corpo ao longo do tempo
Fingindo o prazer que tanto lhe falta.
Quisera este corpo tomar como exemplo
A vida do verme que come e se farta.

Existo por mim n’uma peça... uma farsa...
Fingindo também que por mim tenho amor.
- Desaba, oh corpo! Tua hora já passa!
A bela pintura perdeu toda a cor...

E quando raiar, na manhã que cintila,
A Luz matinal amarela-dourada
Trazendo em seus raios alguma esperança,

Imploro-te, alma: - Descarna tranquila!
No céu, tu serás uma estrela cansada
Formando um só par com a Morte... que dança...

Rafael Gomes
Rafael Gomes Fernandes
Enviado por Rafael Gomes Fernandes em 22/11/2007
Código do texto: T747703

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar a autoria de Rafael Gomes Fernandes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael Gomes Fernandes
Fortaleza - Ceará - Brasil, 33 anos
67 textos (4104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 04:05)
Rafael Gomes Fernandes