Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HAIKAI HAIBUN
 
Literalmente, haikai escritos  é um  forma literária, originários do Japão, combinando prosa e haiku. A gama de haibun é amplo e inclui frequentemente autobiografia, diário, ensaio, poema em prosa,  história curta e diário de viagem.
O haibun é um texto curto em prosa, seguido por um ou mais haicai. A prosa que antecede o haicai geralmente se refere a uma experiência vivida pelo escritor. Alguns autores de haibun preferem escrever a prosa de forma simples e direta, ou ainda compacta, curta ou telegráfica, omitindo verbos, pronomes e outros elementos gramaticais (Reichhold, 2002). O objetivo do haicai que acompanha a prosa é dar uma nova dimensão, provocar uma mudança de cena, voz ou tempo, tal como as duas partes de uma tanka. Um haibun também inclui um título e deve ser escrito no tempo presente. Ainda de acordo com a definição da Haiku Society of America, além de brevidade, um haibun pode conter até 300 palavras e haicais entremeados.
Entre as características do haibun reunidas por Higginson (1985) estão as quatro clássicas definidas por Makoto Ueda, um professor de Japonês da Universidade de Stanford, California, EUA, e grande estudioso e admirador de Basho:
Características do haibun:
1. Escrito em prosa, concluindo com um ou mais haicai;
2. Brevidade e concisão*; 
3. Abreviado em sintaxe; palavras gramaticais, algumas vezes até verbos, são omitidos; uso deliberadamente ambíguo de certas partículas e formas verbais no lugar onde a conjunção “e” seria usada*;
4. Não explicação do haicai; a conexão entre a prosa e o haicai é feita de forma similar a da renga;
5. Imagístico*; relativamente poucas abstratações e generalizações;
6. Objetivo; o escritor é desvinculado*, mantém uma distância estética, mesmo quando se auto descreve; 
7. Deve ser bem humorado e ao mesmo tempo adicionar um toque de seriedade e beleza.

Apesar de uma das características do haibun sugerir a desvinculação do autor no texto, isto é, não se auto-inserir na prosa ou haibun, nem sempre essa regra é cumprida pelos escritores. É comum encontrar em sites especializados sobre haibun, a presença do EU, em uma ou noutra parte do haibun. No segundo haibun dessa seção, optei por usar o "eu" lírico.
* Características do haibun de acordo com Makoto Ueda.
A seguir, mostramos um haibun escrito por Basho e traduzido por Tadashi Kondo (Higginson, 1985). Raku é um nome antigo para KyotoRakushisha significa aproximadamente “Casa do Caqui Caído”; Kyorai é um discípulo de Basho.
Registro de Rakushisha
Qualquer que seja o nome de Raku, Kyorai possui essa casinha no mato de Shimo Saga, nos pés de Arashiyama, perto do igarapé de Oigawa. Esta área tem a conveniência de tranquilidade, um lugar para clarear a mente. Kyorai é um rapaz preguiçoso, a grama alta em frente da janela, alguns pés de caqui espalhando longos galhos -- as chuvas de junho sempre pingando, tatami e shoji com cheiro de mofo, nenhum lugar para sentar. Este brilho de sol, no entanto, é a hospitalidade do dono.

chuvas de junho...
da placa com poema apenas
as marcas na parede


Nesse haibun, Higginson explica que Basho troca o humor tradicional próprio do haibun para um elogio formal e sincero das virtudes do local. Kyorai tinha preguiça de cortar a grama ou aparar as fruteiras, mas em uma parada das chuvas de junho, o sol que penetra no interior da casa chama a atenção do novo morador. Assim, Basho pode perceber que Kyorai escrevia poemas em cartões que foram arrancados da parede, ficando somente as marcas, indicando um hábito de Kyorai e como ele fazia uso de seu tempo.

 
Pesquisa do Google
Enviado por Tânia de Oliveira em 21/01/2016
Reeditado em 28/06/2016
Código do texto: T5518789
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia de Oliveira
Maceió - Alagoas - Brasil
1476 textos (107655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/18 20:32)
Tânia de Oliveira

Site do Escritor