Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CUMULATRIX, por Pedro Cardoso

Cumulatrix

Sempre acreditei que o Poetrix carrega em suas poucas amarras, infinitas possibilidades de novos arranjos poéticos. Ele nos proporciona criar parcerias entre autores de diversas tendências e estilos, sem que os poemas percam suas individualidades originais.

Pensando na diversificação poética e na comunhão dos autores, proponho uma nova vertente para o Poetrix, o Cumulatrix. Mesmo sendo um poema limitado a três versos, algo muito pequeno, pode-se contar uma boa história e, em grupos, como as cirandas, o resultado pode ser ainda mais encantador.

O Cumulatrix pode se tornar uma opção para os que estão iniciando na arte do escrever Poetrix, graças a sua facilidade de construção e por ser um poema encadeado, como os contos cumulativos, que parecem ingênuos no formato e conteúdo.

Exemplos:

Cores

vi um pavão
pavão cheio de olhos
olhos de solidão

Mundo animal

o elefante cavou uma vala,
o maior mico do mundo,
imundo o tatu escondeu no buraco

Veja agora o exemplo de uma ciranda:

Bicho Preto

o urubu parecia uma galinha
galinha d'angola,
pescoço pelado igual ao do peru

Pimpão

o peru era o dono do terreiro
ciscava que nem uma galinha pintadinha
que tangia seus pintinhos amarelinhos

Cantando de galo

no terreiro do sítio
pintinhos danados
danados de se ver

Lá no sertão

galos cantadores,
galinhas poedeiras:
aves dos ovos de ouro

É importante observar que as cirandas podem ser compostas por vários autores em diferentes momentos e que, cada um pode apresentar quantos poemas desejar. São como as cantigas de roda. Estas composições são ideais para a inclusão das crianças no mundo da poesia, no mundo do Faz de Conta.

Devido a flexibilidade do Poetrix e a amplitude das cirandas, podemos criar histórias mais elaboradas, onde a última palavra do último verso seja a primeira do Poetrix seguinte.

Susto

o bicho era grande
grande como uma cobra
mais parecia um lagarto

Aparição

lagarto de fogo
boca grande
cuspindo marimbondo

Meia-noite

marimbondo
bichinho danado
de fazer medo em assombração

E viva a poesia!!!
Pedro Cardoso DF
Pedro Cardoso
Enviado por Movimento Poetrix em 14/06/2018
Código do texto: T6364101
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Movimento Poetrix
Salvador - Bahia - Brasil, 53 anos
99 textos (66872 leituras)
13 e-livros (5994 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/18 21:31)
Movimento Poetrix

Site do Escritor