Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O Texto Hermético

 
O conceito de hermetismo em Literatura baseia-se no mesmo sentido utilizado em Filosofia. Diz respeito a algo cujo sentido é muitas vezes “fechado", de difícil acesso e até mesmo indecifrável para o leitor receptor que não consegue captar o mínimo que o autor desejou comunicar. Essa espécie de incompreensão relacionada ao texto considerado hermético, quase sempre está associada à intenção do autor, com o objetivo de inovar, de sobressair aos modelos vigentes em sua época, seja pelo uso de recursos, tais como metáforas e alegorias ou mesmo pelo uso da linguagem tradicional específica de uma época. O fato é que o texto hermético deve ser respeitado e aceito como uma forma literária distinta, assim como tantas outras, pois nada mais é que um texto que cumpre uma estética, embora que isso signifique a quebra de paradigmas. Nesse pormenor, a rejeição a essa forma é facilmente justificada, já que o diferente sempre causa algum impacto sobre as pessoas.

Um exemplo clássico de poesia hermética intencional são versos do “Purgatório” (Canto XXIX) da  Divina Comédia - obra de Dante Alighieri:

O espaço de entre os quatro ali contém
um carro, a duas rodas, triunfal,
que por um grifo então tirado vem.
Alçava uma asa a outra em modo tal,
sobre a mediana e entre três e três listas,
que, fendendo o ar, não lhes fazia mal.
Tanto subiam que não eram vistas;
As partes da ave eram de ouro amarelo,
As outras brancas, de vermelho mistas [...]
À destra roda, três damas na rota
já vêm dançando: e uma se alvoroça
tão ruiva que no fogo mal se nota;
outra como se em osso e carne possa
ter sido de esmeralda apenas feita;
dir-se-ia que à terceira a neve roça [...]
 
Se não houvesse um estudo que explicasse o que Dante quis aludir, expressar em seus poemas, se tornaria difícil entender, por exemplo,
que o “carro” e "as duas rodas" nesse trecho de o "Purgatório" simbolizam respectivamente a Igreja e as duas leis ou testamentos; o grifo representa Cristo ; e as três damas, as três virtudes teologais (Caridade, Esperança e Fé).Ou seja, por trás da alegoria e da metáfora, muitas vezes vistas de forma confusa e ininteligível, há sim um sentido e uma compreensão que cumpre ao leitor buscar ou simplesmente ignorar.Além disso, por mais que a figura da criação literária hermética tenha longas datas, a presença do hermetismo literário espontâneo é rara e pouco compreendida, tomando por vezes a acepção de linguagem confusa e mensagem nula, sem efeito ao leitor, o que definitivamente é engano, se isso for atribuído meramente ao autor, visto que o leitor deve também estar atento às questões relacionadas à boa compreensão textual.
Suely Andrade
Enviado por Suely Andrade em 30/09/2017
Código do texto: T6128830
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Suely Andrade
Fortaleza - Ceará - Brasil
208 textos (4460 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 11:27)
Suely Andrade

Site do Escritor